quinta-feira, 11 de junho de 2015

Dia dos namorados!

Oi gente!
Com o Dia dos Namorados chegando, quero mostrar prá vocês os enfeites que fiz aqui prá casa quando comemoramos o Valentine's Day, que é como se fosse o dia dos namorados do Brasil, só que mais abrangente - se celebra o amor por todas as pessoas a quem queremos bem: família, amigos, professores, vizinhos,.... 

Bem fáceis de fazer, só usei feltro e sianinha.

Corações de feltro com borda de sianinha - sianinha costurada entre 2 camadas de feltro.




Bandeirola de corações - corações de feltro costurados um ao outro verticalmente, depois costurei ao ricrac com pontinhos à mão. Prendi à parede com tachinhas.

Fiz um coração cor de rosa só prá ficar diferente, inesperado ; ) - o elemento de surpresa! kkkk


E esse aqui eu vi na rua, no Spanish Harlem, lá pela rua 103 perto da Avenida Lexington, em Manhattan. Crochetaram a árvore - lindo!




Feliz Dia dos Namorados prá vocês!

Elisana

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Oi!!! De volta ao blog

Oi gente! Quanto tempo! Estava com saudade do blog

As vezes eu dava uma passadinha aqui, mas cadê o tempo prá realmente escrever, editar foto, etc? Eu sou um bocadinho perfeccionista, e por isso acabo levando muito tempo prá elaborar uma postagem. Então me perdoem, mas vou começar a ser menos criteriosa, e assim vou tentar postar mais frequentemente.

E porque voltei justamente hoje??????
Porque eu *simplesmente* TENHO que compartilhar com vocês:

GANHEI UM CONCURSO DO BRECHÓ!!!!

O brechó entrou na era digital, já tem app, facebook, twitter e etc, e lançaram um concurso para os consumidores. Para participar, bastava transformar/modificar um objeto comprado no brechó e postar a foto no app ou facebook. Os outros consumidores votavam e a loja escolhia os vencedores - dois em cada modalidade e um geral. Semana passada, umas das modalidades foi relacionada a roupas e entrei na competição com o meu vestido vintage feito de lençol .

E NÃO É QUE GANHEI?!?!?!?
Fui uma das ganhadoras da modalidade. Diz minha irmã que foi merecido, já que sou freguesa convicta.

$50 doleto prá gastar na loja (foi o prêmio) se constitui um a boa desculpa prá passar lá, concordam? Quando eu for, vou tirar uma foto prá colocar aqui no blog.

E prá não ficar só no blablabla, vou mostrar uma saia que fiz prá Dona G, que já está quase com 9 anos!!!

Saia de malha com 2 camadas de tule



Fiz a saia simples, com cós de malha canelada e elástico, o que a deixou especial foi o tule, que foi costurado por cima da costura do cós com um zigzag pequeno. A camada de cima é uns 2 cm mais curta que a de baixo.


Na barra, costurei uma fita bem fofa.


Beijo bem grande prá vocês!
Elisana

quarta-feira, 5 de março de 2014

Costurando prá netinha - parte 3 - roupas de boneca

Oi gente,
espero que esteja tudo bem com vocês!

Tô aqui prá falar da Rutinha de novo..... sabem né, com a avó que tem, não poderia faltar uma pecinha vintage no guarda roupa dela.

Casaquinho Vintage


Com botõezinhos de pressão e aplique de rendinha de laço



E o tecido tá parecendo familiar? É porque a Dona G tem um coletinho do mesmo tecido.


Era uma saia infeliz que comprei no brechó (mais detalhes aqui)


Gostei tanto que me empolguei e fiz reversível (o da Dona G é forrado com o mesmo tecido amarelo de bolinhas)




O molde que usei para fazer o casaquinho é grátis e pode ser baixado aqui (já disse e repito: excelente blog prá quem quer fazer roupa de boneca). Alterei, diminuindo o comprimento e aumentando no meio da frente, prá fazer o trespasse com os botões. Me virei prá encaixar o forro....


É gente, a Rutinha tá passando muito bem, obrigada! E ainda tem mais roupinhas dela prá mostrar....

Beijo bem grande prá vocês

Elisana



domingo, 2 de fevereiro de 2014

Costurando prá netinha - parte 2 - Roupas de boneca

Oi gente!

Aqui a Rutinha mostrando mais roupinhas novas

Camisa de manga comprida e saia de veludo




Camisa de manga curta e saia de veludo




Vestido

A parte de cima desse vestido foi feita usando malha de uma camiseta da Dona G, de quando ela tinha uns 2-3 anos. Guardei as costas da camiseta porque achei a estampa bem fofinha. A frente da camiseta estava manchada...

Cortei as mangas utilizando a barra da camiseta, assim não precisei fazer barra da manga ;-)
Só sobrou fiapos...
 


Detalhes:

Fiz a saia de veludo medindo o comprimento e largura que eu queria na boneca.

Fiz as camisas a partir desse molde (ótimo blog prá quem gosta de fazer roupa de boneca)

Fiz a parte de cima do vestido a partir desse molde, fiz uma saia de babado e costurei à parte de cima para fazer o vestido.


E ainda tem mais prá mostrar....

Beijo bem grande - uma excelente semana prá vocês!

Elisana

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Costurando prá netinha - parte 1

A Dona G arrumou uma filhinha :-)

O nome dela é Rutinha, e ela faz parte de uma linha de bonecas históricas, American Girl Dolls. A Rutinha nasceu na década de 20, e no período da Depressão nos EUA ela tinha 9 anos. A família dela não passou dificuldades financeiras, seu pai era banqueiro, mas a melhor amiga dela, Kit, perdeu quase tudo o que tinha, e se não fosse pela intervenção da Rutinha junto à seu pai, sua amiga teria perdido a casa também.

Só que, ironicamente, a Rutinha da Dona G tava bem pobrezinha, só tinha 1 vestido (com o qual chegou por aqui), uma saia e camisa emprestada da ursinha e pés descalços. E a Dona G estava cada vez mais apegada a ela.

No final de setembro passamos um fim de semana num evento das escoteiras mirins (Dona G está no segundo nível). Ficamos hospedadas no mesmo quarto que uma querida amiga minha e sua filha, que coincidentemente tem a boneca que é a melhor amiga da Rutinha, a Kit. Dois dias antes do passeio, lembrei que tinha uma flanela que a Dona G. tinha escolhido prá os pijamas de outono, e resolvi fazer pelo menos a calça prá surpreendê-la durante o passeio.... aí pensei mais um pouco, e decidi fazer uma calça prá Rutinha também.... aí pensei mais um pouco e já viu: calças prá G e sua amiga, e prá Rutinha e sua amiga. (não tenho foto das amiguinhas)

Irresistível com babado roxo cintilante.... :-D (sim, e com etiqueta de coração)



E foi assim que a calça da Rutinha deu asas à cobra.... hehehe! sabe aquele comichão? aquele dos piores?
Pois é, passou um furacão no cantinho de costura e trouxe os presentes de Natal da Dona G:


Camisetas
 


Camiseta e calça




Túnica

Oops, esqueci de fazer o frufru da Rutinha....
 E como as duas estavam precisando de um pijaminha mais quente prá o inverno...

Pijamas





Fiz as roupas da Rutinha a partir desses moldes, alterando de acordo com o que eu queria

Camiseta: http://blog.peekaboopatternshop.com/2013/02/dressing-up-dolly-18-doll-free-tee.html
Túnica: http://jenwrenne.wordpress.com/2013/09/27/more-fall-fashion/ forrei o corpo, eliminei as mangas e alterei o comprimento
Calças: http://www.milomila.com/free_pants_pattern.asp (ajustei a perna prá fazer a calça jeans)
Pijamas com zíper: http://jenwrenne.wordpress.com/2013/10/11/new-patterns-and-tigers-and-bears-oh-my/ (ao invés de velcro usei zíper, ajustei a manga, adaptei pra colocar punho na manga, perna e gola)

Roupas da Dona G:
Camiseta com frufru e túnica (info aqui)
Calça de pijama: fiz a partir de outra que ela já tinha





Pijama com zíper: O acabamento da gola desse molde fica bem feio, alterei. Teria ajustado as pernas também se tivesse percebido que estavam muito largas. Alonguei o corpo e as pernas porque a dona já está maior que o molde!








Camiseta cor creme: revista Ottobre dez/2010 - sem o enfeite do braço e fitinhas laterais. Já fiz outra por esse molde. Ela ama as mangas bufantes! hehehe






Em breve a parte 2!

Beijos e espero que sua semana seja tranquila!

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

O causo do Pufão

O causo do Pufão


Fazia tempo que Elisana queria um pufão para a sua sala. O espaço não era dos mais amplos... e não cabia um sofá em L como ela queria, então o pufão poderia adicionar assentos sem tomar muito espaço.


Mas Elisana não queria comprar um pufão, porque além de outros comprometimentos financeiros que tinha, ainda havia a possibilidade de ela acabar não gostando do pufão (essa Elisana! Um tanto quanto ágil em sua habilidade de mudar de opinião...) então o que fazer?

Pensou em fazer um pufão. O marido faria a armação e ela cobriria de tecido. Já tinha até visto um feito de engradado de refrigerante. Hum.... Mas isso de envolver o marido já acrescentaria outra variável: apesar de habilidoso, seu tempo estava muito restrito.

Foi em meio a esse debate consigo mesma que se deparou com uma mensagem no Freecycle: doa-se um pufão! Respondeu a mensagem. Solicitou o pufão. Ufa! Estava disponível!

Foram buscá-lo. Na casa da doadora, o pufão ficava perto da janela, e estava evidente que sofria de um caso de bronzeamento excessivo, só que ao inverso. Estava desbotado. Era revestido em jeans, e em termos de função, estava em perfeito estado, era de uma marca de excelente reputação, e era grande! Tão grande que acomodava 2 adultos sentados! E não só isso, ele ainda abria e seria possível esconder cacarecos organizar objetos dentro dele! A ex-dona estava chateada em se desfazer, mas totalmente leiga em termos de como solucionar o caso de desbotamento, ficou feliz em saber que o seu pufão estava partindo rumo à clínica de reabilitação cosmética (talvez Elisana propositadamente omitiu o "detalhe" de que nunca antes tinha reabilitado porcaria nenhuma).

Grávida (8 meses talvez),  saiu pela calçada empurrando seu pufão (tinha rodinhas!) e pensando nas possibilidades. O marido viu um pufãozão desbotado, mas ficou feliz porque Elisana estava feliz.

Ela pensou em tirar o jeans, desmontar, trocar o tecido e remontar o pufão inteiro. Mas lembra que ela estava grávida? Pois é, já não tinha muito tempo e ao analisar a montagem, decidiu que seria complicado remontar e dar um bom acabamento na peça toda, porque a parte de dentro já era montada no tecido. Então resolveu fazer uma capa, que seria igualmente funcional e com um bônus: caso ela mudasse de opinião quanto a estampa, seria mais fácil de trocar. E também poderia tirá-la prá lavar (lembra que ela estava grávida? Pois é, seus filhos nasceram com uma capacidade ímpar de desenvolver métodos de impressão em tecidos usando canetinhas, giz de cera, frutinhas silvestres e outros itens bem menos agradáveis).

Depois de muita medição e muita costura reta (ou, mais precisamente, costura QUASE reta), Elisana olhou para o fruto do seu trabalho e deu um auto-tapinha nas costas: Muito bem!, disse a si mesma.

Mas ela não poderia ficar só nisso. Não Elisana. Ela foi adiante e fez almofadas para combinar. E como ela se conhece o suficiente, fez a parte da frente e a parte de trás com tecidos diferentes, porque caso ela se cansasse de um lado, poderia usar o outro; ou uma de cada lado se estivesse indecisa.

E a sua sala ficou mais aconchegante, tinha um lugarzinho a mais para sentar, para esticar as pernas, para esconder guardar os quebra-cabeças das crianças (que antes encontravam os lugares mais inapropriados para se instalarem até que fossem dados como perdidos), e o carpete cinza já não parecia tão "escritorial" (???).

E um bônus: tudo combinava com as persianas romanas que tinha feito na gravidez anterior. Aquelas cortinas, que requiseram pesquisas em livros e na internet, e por fim cálculos meticulosos baseados puramente no achismo, já que cada fonte dava uma informação diferente. Aquelas cortinas que tinham uma estampa meio louca, meio "cheguei", bem moderna, da qual ela tinha certeza que enjoaria em menos de 1 ano, mas mesmo assim resolveu fazer porque... porque.... porque tinha que ser aquela estampa. Fizera até o bandô combinando: bonito que só ele!

Isso tudo já faz um bocadinho de anos, e ela ainda não se cansou nem das cortinas, nem do pufão, nem da capa, nem das almofadas. Isso sim mereceu um tapinha nas costas, pois foi uma realização e tanto!


Pufão antes da capa
Haja pecinha de quebra-cabeças.....


A capa



Almofadas lado 1
Almofadas lado 2

Persianas Romanas

Persianas abertas



A estampa
E todos os dias, ao passar pela sala, Elisana dá um sorrisinho, não se sabe se pelo fato de que gostou do trabalho que fez, ou pela satisfação de ter aprendido muitas coisas no processo, ou por ambos.


terça-feira, 26 de novembro de 2013

hein? desde setembro?

Oi gente,
Tudo bem? Espero que sim!
Estou com saudade de vocês!

Nem sei por onde começar, a última postagem foi em setembro (obrigada por me atinar, Lia!).

Tive a chance de ir comemorar o aniversário da minha vó com a família- 90 anos! Foi um presentão prá mim, meu aniversário é 1 dia antes do dela : ) Nem preciso dizer, me esbaldei, tagarelei tanto que cheguei em casa com a garganta pedindo arrego. Que privilégio passar esse tempo com em família - meus pais, irmãos, sobrinhos, primos, tios - adorei revê-los! E sobre a vó... hum só vou dizer que ela faz refaz roupa, reaproveita retalho, inventa, cria e recria. Será que me identifico com ela?

E como toda boa vó, ela percebeu que meu olhinho estava um pouco mais crescido prá cima da máquina de pedal dela, e depois de uma aulinha básica de ritmo, pegando os macetes aqui e ali, ela me entregou o paninho que estava costurando e me encarregou de terminá-lo. O pano amarelo eu tinha mandado prá ela em junho. É interessante como a gente se redescobre em família.



Por agora é só, desde que cheguei do Brasil tenho trabalhado mais horas e tá difícil conciliar tudo. Mas já tinha umas fotos prá mostrar prá vocês, quem sabe um desfile? Essa semana sentei à máquina vorazmente prá fazer uns presentinhos prá Dona G.

Beijo bem grande